Arquivo | Reportagem RSS for this section

Jiz e Chico

   

Tributo a Chico na ONU

No dia 6 de agosto será realizado o evento “Tributo a Chico Xavier” num dos auditórios da ONU, em Nova York(EUA), em uma promoção da United Nations Staff Recreation Council (LNSRC) e Society for Enlightenment And Transformation (SEAT). Na oportunidade será apresentado o filme Chico Xavier, seguido de uma mesa redonda com produtores e atores do filme e diretores da FEB e do Conselho Espírita Internacional.

  Informações:www.spiritistvideos.com/chico 

Jiz no Atualpa – Walter Barcelos, Parte II

 2º Palestra – livro “Educadores do coração”

 7 de março de 2010

Walter Barcelos

 

Palestra…

Boa parte da palestra foi voltada para as crianças, mas serve para os jovens também.Walter explicou a diferença entre caráter e inteligência. A importância dos pais na formação dessas duas coisas. De educar os filhos não só pela inteligência, mas principalmente, pelo coração. Porque é preciso educar os sentimentos, colocar em prática das virtudes do Evangelho, a preocupação pelo exercício dos bons hábitos e o cultivo dos princípios cristãos.

É necessário protegê-los do mundo das trevas, é o que seria esse mundo? É o materialismo que está por aí sem caráter e sem amor. Os filhos aprendem pela convivência os bons e maus exemplos. Seja na escola ou no lar ou no centro espírita. Relembrou o valor do papel do evangelizador na construção da personalidade. O aprendizado tanto das crianças (e dos jovens) é tempo integral. Nas pequenas atitudes é o que se ensina aos filhos o que eles podem ou não fazer. Os educadores precisam ter o evangelho não só na cabeça, mas também na alma.

Por Larissa Nascimento

Jiz no Atualpa – Walter Barcelos, Parte I

1º Palestra – livro “Minha Mente, Meu Mundo”

6 de março de 2010

Walter Barcelos – Palestrante

E aí galera, esse é mais um JIZ no Atualpa! O blog esteve presente para deixar registrado em textos e fotos tudo  o que aconteceu na visita dessa pessoa ilustre ao nosso centro espírita. Para quem não o conhece, Walter Barcelos é autor de livros espíritas com temas intrigantes como Mediunidade e Discernimento, Sexo e Evolução, Justiça e Felicidade, e Homossexualidade (Reencarnação e Vida Mental). 

Inclusive esse post é também para quem perdeu essas preciosas palestras por qualquer razão que seja.  O post vai ser divido em três, um para hoje e outro para amanhã (domingo) para a palestra com o tema “Educadores do Coração” às 9 horas. É indicado para todas as idades. Pais, filhos e avós estão convidados!

 P.s: O último post vai ter outras fotos das palestras

P.s: A resenha do livro “Minha Mente, Meu mundo” logo vai ser postada daqui a uns dias, aguardem! Se quiserem a resenha de outro livro dele é só deixar um comentário para a gente! 🙂

.

Palestra…

Tivemos primeiramente a apresentação de alguns músicos tocando algumas sinfonias lindas. E na parede do teatro algumas mensagens de Chico Xavier (Lembrete: O Congresso homenageando os 100 anos do Mineiro do Século vem aí, não perca o chamado e se inscreva, juventude!). Voltando a palestra, no início tivemos a prece carinhosa da irmã Carla Abreu para abrir os trabalhos.

Walter retratou a importância da mente na nossa evolução. Como ela influencia de modo direto na construção de ambiente interior do ser. Seja alegria ou tristeza, luz ou trevas, equilíbrio ou desequilíbrio. Ela é a soma do cérebro e do coração que andam juntas no trabalho de conduzir o espírito para o melhor caminho.

Revela que a escolha de sentimentos do coração também são importantes. Afinal, é preciso alimentar as virtudes. E não adubar as imperfeições que depois se transformam em ervas daninhas difíceis de arrancar. Ensina-nos como acontece a transmissão dos sentimentos da mente para o cérebro. Que passam primeiro pela Epífise espiritual localizada no perispírito antes de chegar ao cérebro.

Informa também sobre a “mente e corpo espiritual”. Pois a nossa saúde pode ser relativamente boa durante a nossa existência se cultivarmos pensamentos bons durante a nossa estadia na terra. No fim da palestra, a mensagem que fica é: não só ter o DESEJO de pensar, sentir, fazer diferente e melhor, mas sim ter conosco a VONTADE para mudar. Afinal, desejo sem vontade é ILUSÃO.

Por Larissa Nascimento

ESPIRITISMO NO DIA-A-DIA

lagrimas1Isto É 8 de abril de 2009

Sexo cada vez mais cedo
Vídeo erótico com crianças veiculado na internet provoca escândalo e alerta para os riscos da sexualidade precoce

Suzane Frutuoso, de Ibirubá (RS)

 A pequena cidade gaúcha de Ibirubá é um daqueles lugares onde o tempo parece passar mais devagar. Lá todas as famílias se conhecem, as pessoas se cumprimentam pelo nome e a população pode circular à vontade pelas ruas, com praças arborizadas e casas coloridas que ajudam a compor um cenário bucólico. Tamanha placidez foi abalada há três semanas, quando explodiu na internet um vídeo de sexo explícito cujos protagonistas eram moradores da cidade: A., um garoto de 14 anos, e K., uma menina de 11. Durante as férias escolares, numa tar de quente de fevereiro, o adolescente se reuniu com três companheiros da mesma idade para jogar videogame na casa de um deles. Não havia adultos no local, os pais do menino estavam trabalhando. Minutos depois, a menina K. ligou para um dos garotos, perguntando se poderia encontrá- los. Chegando lá, o casal foi para o quarto e chamou um dos amigos para filmar a “brincadeira” com o celular. Dias depois, o vídeo de 12 minutos vazava na internet e a inconsequência do gesto passou a ser de domínio público. A história que abalou o município de 19 mil habitantes choca pela tenra idade dos envolvidos e pelo conhecimento deles sobre um ato que requer maturidade física e psicológica para ser realizado com prazer e segurança. E ecoa no País como um alerta para a urgência de a sociedade refletir sobre o acesso das crianças a informações que estimulam a sexualidade precoce.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, de 1996 a 2006 o percentual de garotas que perderam a virgindade até os 15 anos saltou de 11% para 33%. Nesta mesma faixa, 47% dos meninos já tiveram sua iniciação. “A erotização está começando cada vez mais cedo e de forma intensa”, afirma a psicopedagoga Qué zia Bombonatto, de São Paulo. “A fase de experimentação começa mais cedo e tudo é permitido.”

Especialistas são unânimes: na esteira do contato prematuro com o sexo vem uma série de problemas. Entre eles, não ter prazer (e se cobrar por isso), associar o sexo a algo errado e ruim, a gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis e dificuldades de relacionamento. A situação causa até impactos fisiológicos, acelerando a ebulição hormonal. A primeira menstruação das meninas, por exemplo, cai cerca de seis meses a cada geração. Hoje está em 12 anos, segundo o Ministério da Saúde.

 “Uma vida sexual saudável abaixo dos 14 anos é muito difícil”, explica o ginecologista Gerson Lopes, coordenador da Associação S.a.b.e.r. – Saúde, Amor, Bemestar e Responsabilidade. “Eles não estão preparados e a primeira vez acontece sem privacidade, carinho e prevenção.” É preocupante observar que o “ficar” está incluindo o sexo, afirma o médico. “Os jovens estão virando prisioneiros da própria liberdade, com angústias por não alcançarem o ideal distorcido de sexo que estão aprendendo.” Tanta insegurança os leva a cometer erros mais facilmente, como esquecer de usar o preservativo.

“Existe uma crença de que a mulher sexy e bela se dá bem na vida, tem mais chances de sucesso”, diz a psicopedagoga Maria Irene Maluf. “É um mecanismo que alimenta a sexualidade antes da hora.”

Ainda que família e escola se esforcem, uma cultura popular recheada de apelos sexuais complica a situação. Letras de música, filmes, novelas, seriados de tevê apimentados e até o excesso de vaidade na busca por perfeição física permeiam o cotidiano de crianças e adolescentes. “E o tesão é uma força avassaladora da natureza”, diz a educadora sexual Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan, de São Paulo. A saída para que esse sentimento poderoso aflore na hora certa é impedir ao máximo que a garotada tenha contato com o bombardeio erótico.

 

Posição da Doutrina Espírita sobre o tema:

No livro Vida e Sexo, Emmanuel alerta-nos para a importância da energia sexual e do seu adequado direcionamento como uma conquista no processo evolutivo do ser. Afirma-nos o autor espiritual:” Nos seres primitivos, situados nos primeiros degraus da emoção e do raciocínio, e, ainda, em todas as criaturas que se demoram voluntariamente no nível dos brutos, a descarga de semelhante energia se opera inconsideradamente. Isso, porém, lhes custa resultados angustiosos a lhes lastrearem longo tempo de fixação em existências menos felizes, nas quais a vida, muito pouco a pouco, ensina a cada um que ninguém abusa de alguém sem carrear prejuízo a si mesmo.”

Observamos que a fala do autor espiritual, que data dos anos 70 do século passado, já alertava quanto a necessidade de cada espirito conhecer e dominar  sua energia sexual, sem deixar-se governar simplesmente pela ditadura dos sentidos, como estamos observando nos dias atuais.

Manoel Philomeno de Miranda na obra: Sexo e Obsessão, discorre sobre os dias atuais e a crise de valores que presenciamos, afirmando” É natural que, num momento de transição de valores, campeiem o absurdo e o fantasioso, tentando adquirir cidadania moral, ao tempo em que empurram os cidadãos na direção do fosso da promiscuidade e do desespero, (…)

Torna-se indispensável quão imediata um nova ética-moral, a fim de que valores nobres granjeados pela sociedade no curso dos milênios, não se percam no chafurdar das paixões e no desprestígio das instituições, como o matrimônio, a família, a castidade, a saúde comportamental (…)”

Ante a seriedade do tema, cabe-nos indagar a responsabilidade de pais, educadores e da sociedade em geral quanto a proliferação de uma cultura sexólatra e consumista, que reduz as pessoas e as relações a simples troca de mercadoria e de prazer, onde quem tem “mais atraentes atributos” torna-se o alvo do assédio, bem como pode utilizar seus predicados para obtenção de vantagens e privilégios.

É fato que o acesso a informação tornou bem mais complexa a atuação da família, que em épocas passadas poderia simplesmente omitir-se quanto à discussão de temas considerados constrangedores. Por outro lado, não se pode simplesmente atribuir à mídia a única responsabilidade pelo estado atual no que se refere ao tema sexualidade.

A sociedade, de forma geral, não soube realizar as conquistas adequadas advindas com a construção de um novo modelo familiar,  que mostrou a necessidade de maior valorização da mulher, resgatando-lhe direitos sociais e dentro da família; no entanto, para muitos esta nova visão apenas reduziu-se a uma nova possibilidade, a plena liberalização sexual, que trouxe para o comportamento feminino a adoção de condutas sexuais consideradas reprováveis, como a promiscuidade, a infidelidade, como se estas fossem conquistas para aumentar o valor da mulher na sociedade, de modo geral.

A Terra vive a sua grande transição de mundo de expiação e provas para um mundo de regeneração, como nos afirma Philomeno de Miranda “ (…) Este é, pois, o grande momento para todos nós, que aspiramos uma vida melhor e mais ditosa.

Reflexionar e agir de maneira correta em relação às funções sexuais é dever de todo ser que pensa e que compreende a finalidade da existência.

Nesta hora de conturbação moral e de violência, de agressividade e de aberrações sexuais, de descontrole geral e de sofrimento de todo porte, cumpre-nos, a todos, somar esforços em favor dos princípios da dignidade huamna e da honradez, do equilíbrio no comportamento e da educação das gerações novas, único meio de oferecer ao futuro uma sociedade menos conturbada e deslindada dos terríveis cipoais da obsessão. À educação moral cabe a tarefa de construir um novo homem e uma nova mulher, que formarão uma nova e saudável sociedade para o porvir.”

Livro dos Espíritos: o início de tudo!

Livro dos Espíritos

Livro dos Espíritos

 

INÍCIO DE TUDO:
O Livro dos Espíritos!

Primeiro livro da codificação de Allan Kardec, publicado em 18 de abril de 1.857, o Livro dos Espíritos abre oficialmente a literatura envolvendo a troca de informações e ideias entre o plano espiritual e o físico. Apesar de a mediunidade ser uma prática antiga na vida da humanidade – a própria Bíblia traz diversas histórias neste sentido – o Livro dos Espíritos é a primeira obra totalmente codificada com base nas respostas e informações totalmente transmitidas pelos benfeitores espirituais.
Fruto de respostas colhidas por médiuns em diversos pontos do planeta, coube a Kardec o trabalho de organizar todo o material. A primeira edição tinha apenas 550 questões, já na segunda esta quantidade havia praticamente dobrado (número este que se manteve até os dias atuais, com pequenas alterações). O Livro divide-se em quatro partes (das quais, posteriormente, derivariam os demais livros da codificação kardequiana).
Primeira parte:
• Causas Primeiras – aborda a noção de Deus, da Criação e dos elementos fundamentais do Universo.
• Pergunta 1: Que é Deus?
• Pergunta 75: É acertado dizer-se que as faculdades instintivas diminuem a medida que crescem as intelectuais?

Segunda parte:
• Mundo Espiritual ou dos Espíritos – analisa a noção de Espírito e toda a série de imperativos que se ligam a esse conceito, a finalidade da existência, o potencial de auto-aperfeiçoamento, a pré e pós-existência (englobando a reencarnação e o período de erraticidade), as relações que estabelece com a matéria e, por fim, analisa os reinos mineral, vegetal e animal.
• Pergunta 76: Que definição se pode dar dos espíritos?
• Pergunta 613: Embora de todo errônea, a idéia ligada à metempsicose não terá resultado do sentimento intuitivo que o homem possui de suas diferentes existências?

Terceira parte:
• Leis Morais – trabalha as Leis de ordem Moral as quais está submetida toda a Criação, quais sejam: Lei de Adoração, Lei de Trabalho, Lei de Reprodução, Lei de Conservação, Lei de Destruição, Lei de Sociedade, Lei de Progresso, Lei de Igualdade, Lei de Liberdade e Lei de Justiça, Amor e Caridade.
• Pergunta 614: Que se deve entender por lei natural?
• Pergunta 919: Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?

Quarta parte:
• Esperanças e Consolações – trata da questão das penas e dos gozos terrenos e dos experimentados no futuro.
• Pergunta 920: Pode o homem gozar de completa felicidade na Terra?
• Pergunta 1.019: Poderá jamais implantar-se na Terra o reinado do bem?

Curiosidades acerca do lançamento do L.E.:

• Em setembro de 1861, tendo sido encomendados em Barcelona número significativo de exemplares do L.E. tais obras nunca chegaram às mãos de leitores uma vez que o bispo local num “auto de fé” apreendeu e queimou os livros na data de 9 de outubro de 1861.
• Em ato semelhante, a Igreja Romana inclui a obra no Index em setembro de 1861 (catálogo de obras proibidas).
• Contudo, graceja nosso contemporâneo palestrante Divaldo Pereira Franco ao afirmar que tais medidas somente incitaram a curiosidade da população sendo, portanto, a melhor propaganda recebida pelo livro.