Arquivo | 1 RSS for this section

Poema para 1 ano do blog JIZ

 

Completamos 1 ano de Jizel

1 ano de trabalho

1 ano de dedicação

1 ano de que é o começo de muitos outros

Jizel não é nada sem vocês

Obrigada pelas sugestões e visitação

Vocês estão no nosso coração

GEABL e Jizel é uma parceria sem fim

Nunca nesse mundo se viu algo assim

Larissa Nascimento

Mensagens para o jovens espíritas direto do congresso

Para ver a mensagem de João Rabelo (Coodernador do congresso) e Nestor Masotti (vice-presidente da FEB) clicando nos seguintes links:

http://www.flickr.com/photos/37684671@N08/4532404487/

http://www.flickr.com/photos/37684671@N08/4531448782/

Jiz na cabeceira

Lindos Casos de Chico Xavier

Um livro que, como o filme do Chico, traz belíssimos casos da vida do médium mais famoso do mundo.

Escrito por Ramiro Gama, são ao todo 170 histórias, relatadas por pessoas que conviveram com Chico e por ele mesmo, vindas à tona pela primeira vez nesta edição.

Uma introdução um pouco mais prolongada pelo autor (chamada de “Parte I”) aproveita para fazer uma crítica sobre o “Parnaso de Além-Túmulo”, já publicado em nosso blog, que vale a pena ser lida.

Àqueles que não se incomodam em ler textos pelo computador podem conhecer o livro pelo link – http://www.pedagogiaespirita.org/biblioteca/chico_diversos/Lindos%20Casos%20de%20Chico%20Xavier.pdf

Espiritismo no dia-a-dia

Australiano com sangue raro já salvou 2,2 milhões de bebês

 O australiano James Harrison, dono de um tipo sanguíneo raro, já salvou a vida de 2,2 milhões de recém-nascidos, incluindo a do próprio neto.

 Seu plasma sanguíneo é usado na criação de uma vacina aplicada em mães para evitar que seus bebês sofram da doença de Rhesus, também conhecida como doença hemolítica ou eritroblastose fetal.

 A doença causa incompatibilidade entre o feto e a mãe. A doença acontece quando o sangue da mãe é Rh- e, o do bebê é Rh+. Após uma primeira gravidez nestas condições ou após ter recebido uma transfusão contendo sangue Rh+, a mãe cria anticorpos que passam a atacar o sangue do bebê.

 O sangue de Harrison, de 74 anos, no entanto, é capaz de tratar essa condição mesmo depois do nascimento da criança, prevenindo a doença.

 Após as primeiras doações à Cruz Vermelha australiana, descobriu-se a qualidade especial do sangue de Harrison. Foi quando ele ganhou o apelido de “o homem com o braço de ouro”.

 “Nunca pensei em parar de doar”, disse Harrison à mídia local. Em mais de uma década, ele fez 984 doações de sangue e deve chegar a de número mil ainda nesse ano.

 Harrison se tornou voluntário de pesquisas e testes que resultaram no desenvolvimento de uma vacina conhecida como Anti-D, que previne a formação de anticorpos contra eritrócitos Rh-positivos em pessoas Rh-negativas.

 Antes da vacina Anti-D, Rhesus era a causa de morte e de danos cerebrais de milhares de recém-nascidos na Austrália.

 Aos 14 anos de idade, Harrison teve de passar por uma cirurgia no peito e precisou de quase 14 litros de sangue para sobreviver. A experiência foi o que o levou, ao completar 18 anos de idade, a passar a doar com constância o próprio sangue.

Seu sangue foi considerado tão especial que o australiano recebeu um seguro de vida no valor de um milhão de dólares australianos, o equivalente a R$ 1,8 milhão.

Explicação da doutrina

DAI GRATUITAMENTE O QUE RECEBESTES GRATUITAMENTE

  Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos,

expulsai os demônios. Dai gratuitamente o que recebestes gratuitamente.

(Mateus, 10:8) Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo XXVI

 

Personalidade do Mês

Nome: nascido como Francisco de Paula Cândido, posteriormente alterado para Francisco Cândido Xavier e mais conhecido como Chico Xavier.

Nascimento: 02 de Abril de 1910 em Pedro Leopoldo Minas Gerais.

Falecimento: 30 de Junho de 2002 em Uberaba, também Minas Gerais.

Chico Xavier é o mais conhecido médium espírita do mundo. Tendo publicado mais de 400 obras mediúnicas, das quais ele dizia ser apenas a ferramenta de escrita e não o autor. Chico foi uma referência de bondade, resignação e amor ao próximo.

Nascido em uma família pobre, na cidade de Pedro Leopoldo, que fica na região metropolitana de Belo Horizonte, teve uma infância muito difícil, tendo que trabalhar desde cedo para auxiliar nas despesas domésticas (quando voltou a morar com o pai) e sofrendo agressões por parte de sua madrinha durante o período que com ela residia.

Seus estudos foram muito limitados, chegando apenas a concluir o primário. Todavia, devido ao arcabouço de outras encarnações, conseguia escrever com maestria sobre os mais variados temas em diversas línguas – lembrando que, apesar de as comunicações mediúnicas trazerem o conhecimento do espírito, necessário é que o médium tenha em sua bagagem dados sobre o idioma em que ela ocorre. Chico, todavia, sempre era humilde em afirmar corretamente ser apenas o porta-voz da mensagem por ele encaminhada.

Iniciou seus estudos na Doutrina Espírita em 1927, aconselhado por sua mãezinha já desencarnada. E desde então nunca deixou de ler e reler as obras de Kardec, lembrando sempre o que dizia o Espírito da Verdade: “Espíritas amai-vos, esse é o primeiro mandamento, instrui-vos, este o segundo“. Mostrou-se, desse modo, um modelo de dedicação, estudo e humildade.

Além do trabalho na seara mediúnica, psicografando livros e cartas  de pessoas desencarnadas destinadas a familiares e amigos , Chico auxiliava a todos que passavam em seu caminho dando comida, apoio ou mesmo um simples sorriso (algo não raro no rosto desse mineiro).  Ele destinou a renda de todas as suas psicografias a obras assistenciais, permitindo que muitos tivessem acesso a um prato de comida, um abrigo e atendimento médico. Sempre insitia que a finalidade do ser humano é ser útil ao próximo, amando, respeitando e sendo, em todos os momentos, caridoso. Assim, o velhinho de Minas vivenciava suas palavras em todos os seus atos.

Chico foi um exemplo durante sua vida, sendo respeitado e querido por pessoas de todas as religiões e cultos. Mesmo que muitos não acreditassem em suas comunicações, o respeitavam pelas obras de caridade que assistia e pela paz que trazia ao coração das pessoas. Desse modo, foi eleito o mineiro d0 século XX, ficando à frente de Santos Dumont, JK e Pelé.

Como última ação de desprendimento, quis desencarnar em um momento de felicidade do povo brasileiro, a fim de sua morte passar despercebida pela população e não gerar tristeza – desencarnou, assim, no dia em que o Brasil festejava o seu quinto título da Copa do Mundo de Futebol. Todavia o seu enterro foi acompanhado por milhares de pessoas que desejavam prestar a última homenagem ao médium mineiro.

Chico representou o trabalho, a fé e o amor ao próximo, sendo uma pessoa de bem e que sempre se esforçava para domar as suas más inclinações e trabalhar em prol dos mais necessitados. Exemplificou a máxima: “Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más”.



Espiritismo no dia-a-dia

Mais de 600 mil assistem a “Chico Xavier” e filme bate recorde 

 da Folha Online

da Folha de S.Paulo

     O filme “Chico Xavier”, que estreou na sexta-feira passada, foi visto por mais de 600 mil pessoas, segundo a distribuidora Dowtown. O longa-metragem se torna, assim, a maior bilheteria da história do cinema nacional desde 1995, nos três primeiros dias de exibição.

      A cinebiografia do médium bateu “Se Eu Fosse Você 2” (2009), visto por cerca de 570 mil espectadores em seus três primeiros dias em cartaz. “Lula, o Filho do Brasil” (2010) fez 220 mil no fim de semana de estreia, e “Avatar” (2009) registrou mais de 800 mil.

     O centenário de nascimento de Chico Xavier coincidiu com o lançamento do filme, no dia 2. O filme está em cartaz em 377 salas do país. Na noite de sexta, a reportagem da Folha passou por quatro cinemas da capital paulista e todos estavam com as sessões esgotadas.

     “A última vez que vi lotar assim foi com ‘Avatar'”, disse a gerente Kátia Sousa, do Cinemark do Shopping D. Até as 21h, todas as sete sessões de “Chico Xavier”, em duas salas, tinham esgotado. A outra única sessão do dia que encheu foi de “A Caixa”.

     No Frei Caneca Unibanco Arteplex 2 e no Cine Marabá, a mesma situação. “Sou católica e espírita, gostamos do Chico”, disse a telefonista Cacilda Dias, 63, que ficou sem ingresso no Marabá. A última vez que ela esteve no cinema foi para ver “2 Filhos de Francisco” (2005). O estudante Jaime Almeida, 30, teve mais sorte. “Chico prega o amor, não fala só de religião”, disse ele, que não tem religião e cujos pais são católicos, e as irmãs, evangélicas.

Você no JIZ

Nome: Karinne Coelho de Oliveira

Idade: 18 anos – 3° ciclo

Aniversário: 27/02/1992

 O que faz? Direito no CEUB – Cursinho para concurso

Hobby?  Ouvir Música  

Filme?  Comédia–Romântica

Musica? “TUDO”

Time? Flamengo

Comida? “TODAS”

Um esporte? Futebol

O que você acha da Juventude?

“Interessante, legal, importante, necessária.”  

O que poderia melhorar na Juventude?

“Mais participação, e que as pessoas levassem mais a sério.”    

Uma frase para encerrar?

AME O PRÓXIMO!