Archive | abril 2012

Encerramento 2ºCEDF

A última atividade do 2º CEDF está sendo realizada neste momento. Um momento de perguntas e respostas, de interação mais direta com os expositores e de reflexão sobre temas quotidianos relacionados à transição planetária e, principalmente, à modificação da humanidade que ruma à sua evolução.

Outras informações, bem como imagens de todos os dias de evento e links interessantes para divulgadores espíritas podem ser encontradas no blog oficial do Congresso: http://2congressoespiritadf.wordpress.com/

por Davi Marco Lyra Leite

Anúncios

Atividades para Crianças

Enquanto os jovens tiveram um dia de sábado com programação especial, o domingo resevour várias atividades para as crianças do movimento espírita do Distrito Federal.

Os pequenos, com idades entre 7 e 12 anos, entraram em contato com o processo de transformação pelo qual passa o nosso planeta e seus habitantes. Elas foram questionadas sobre o certo e o errado na ótica da Doutrina Espírita e segundo Iracema, coordenadora da Diretoria de Infância e Juventude da Federação Espírita do Distrito Federal (FeDF), a reação foi muito boa.

Por exemplo: fizemos uma dinâmica com eles, na qual, uma lixeira estava tomada com lixo espalhado em volta e perguntamos se isso é certo ou errado. Foi unânime a declaração de que aquela situação não estava certa

Iracema, coordenadora do DIJ/FeDF.

Crianças nas atividades da manhã (foto por Tio Ito)

Segundo ela, são respostas como essas que dão a segurança para que se afirme que as crianças estão bem preparadas e, especialmente, abertas a ajudar o próximo. “Essa constatação é, certamente, fruto das atividades de evangelização, que ocorrem nas casas espíritas e, de modo muito especial, nos lares dessas crianças”, declarou a coordenadora do DIJ/FeDF.

Augusto e Tita, do Atualpa, durante a atividade para as crianças (foto por Tio Ito)

Pelos dados da FeDF:

  • 64 crianças participam do Congresso.
  • A idade delas varia entre 7 a 12 anos.
  • 80% das crianças participantes foram inscritas na sexta-feira, dia 13, primeiro dia do congresso.
  • 30 voluntários foram mobilizados especificamente para essas atividades.

Assim, como disse o Cristo:

Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, pois dela é o Reino dos Céus“. (Mt. 19-14)

por Davi Marco Lyra Leite e Aurélio Prado

Palestra “A defesa da vida”, por Marlene Nobre

Por Cristiane Vasconcelos

A médica Marlene Nobre, presidente da Associação Médico-Espírita do Brasil, abriu a programação de palestras do segundo dia do 2° Congresso Espírita do DF, presenteando o público com o tema “A defesa da vida”. Discorrendo sobre assuntos importantes sobre o direito à vida humana, Marlene mostrou clareza na exposição, conhecimento e, acima de tudo, respeito por esse bem que, segundo ela mesma diz, é “um bem indisponível por ser uma doação de Deus”.

Muitas são as razões humanas para tentar justificar ações contrárias à vida, como, por exemplo, o aborto, um dos temas mais polêmicos nesse sentido. Em sua palestra, Marlene Nobre apresentou as razões divinas, por meio de informações científicas e do Espiritismo, para se proteger a vida. “A vida começa na concepção, momento em que o espermatozoide fecunda o óvulo, gerando o zigoto, que é o clamor da vida” como informa a questão 344 do Livro dos Espíritos, sobre o início da vida humana.

Com a formação do embrião, os laços do Espírito com seu corpo vão se estreitando ao longo da gestação, segundo a Doutrina. Além disso, considerando as descobertas científicas, Marlene revelou diferentes resultados de pesquisas que mostram como o feto, desde seu início, possui uma psique, uma memória. O embrião já possui, mesmo antes da formação de um cérebro, neuropeptídeos que promovem o diálogo com os sistemas nervoso e endócrino. “O embrião contém, em suas células, todo o projeto de um novo ser, mostrando que não pode, assim, ser somente um emaranhado de células”, defende. Citou o exemplo da bebê Kristina, nascida na Suécia, que não aceitava o leite de sua mãe, mas  apenas outros leites, inclusive os de outras mães. Tempos depois, o médico responsável pelo estudo do caso, escutou, da mãe da menina, que desde que ela havia sabido de sua gravidez, não queria  ter a criança, e teria pensado, inclusive, em praticar o aborto. “A mãe emitiu o sentimento de rejeição, que a criança sentiu. Uma prova da psique do feto”.

Doutora Marlene Nobre (foto por Edson Gês)

Ainda citando o Espiritismo, Marlene destacou aspectos morais que envolvem temas como aborto e fertilização em laboratório. Ela cita a questão 680 do Livro dos Espíritos, cuja resposta explicita que Deus é justo, só condenando aquele que voluntariamente tornou inútil a sua existência. “Essa resposta é definitiva para nós. Devemos ter essa questão como base para qualquer atitude bioética que tomemos”, destaca a palestrante. Sobre a concepção em laboratório, Marlene conta que, de acordo com os Espíritos, esta questão seria até mais possível, pois não passa pela interferência do perispírito da mãe. A esse respeito, ela resgata o Teorema de Bell, da física quântica, que diz que a comunicação independe de espaço e tempo, podendo acontecer em qualquer lugar e momento. Assim se dá com as ligações do Espírito ao corpo físico, que podem acontecer no útero da mãe ou em laboratório.

Ainda assim, ela ressalta um ponto fundamental para a criação da vida: a vontade divina. “O homem já gastou milhões para tentar criar uma vida em laboratório e não conseguiu absolutamente nada até agora. Por que insistimos em interferir em algo que desconhecemos? Fazemos medicina para Deus, por isso não interferimos na vida que é obra exclusiva de Dele”.

Aborto de anencéfalos

A médica Marlene Nobre trouxe, ainda, informações esclarecedoras sobre o  aborto de anencéfalos. Ela explica, cientificamente, que o projeto Genoma Humano mostrou que os genes não carregam as características de um ser. Conta, ainda, que o médico integrante desse projeto, o doutor Francis Collins, disse, na época, que “é uma falácia crer na ideia que as características estão impressas no genoma humano”.

Sobre a formação do encéfalo no feto, ela diz que cada caso é um caso, “não podemos colocar tudo numa mesma medida”. Pesquisas científicas mostram que, em casos de anencéfalos, existe no feto estrutura de encéfalo, que é o tronco cerebral alto, em porções variáveis dependendo do caso. O médico Wilder Penfield, em seu livro “O mistério da mente” (1983), mostra que o indispensável substrato da consciência não está no córtex cerebral, que é a parte que não se forma no anencéfalo. A mente está no tronco cerebral alto e, segundo ele, o córtex seria necessário para a exteriorização do conteúdo da mente.

Considerando os ensinamentos espíritas, Marlene nos conta a seguinte história: “Imagine que você ama imensamente um espírito que cometeu suicídio com um tiro que lhe esfacelou o cérebro. Esse Espírito está agora num estado lastimável no mundo espiritual e você então roga a Jesus por uma oportunidade de reencarnação para ele. Você sabe que ele será um anencéfalo, mas, o que vai acontecer com ele? Ele terá a chance de refazer seu perispírito com essa reencarnação e você está muito feliz com isso. Você, que ama esse Espírito, deseja vida longa a essa mãe que o recebeu, enquanto os homens dizem: morte ao anencéfalo”.

Por fim, ela nos lembrou a palavra de Chico Xavier, “Aborto é um delito grave para a Providência Divina. A vida não nos pertence, mas, sim, ao poder divino”.

A palestrante terminou sua explanação sendo aplaudida de pé pelo público presente. “Ela nos trouxe uma visão médica sobre o assunto, o que nos ajuda a entender melhor a questão da vida e não ficarmos só na especulação”, diz o jovem Alberto Valim. A servidora pública Renata de Andrade é objetiva: “Foi maravilhosa a palestra. Foi muito boa a abordagem científica desconhecida pela gente. Isso só reforça nossa opinião contrária ao aborto”.

Dra Marlene Nobre durante a palestra (foto por Edson Gês)

Programação para Jovens

Nossos jovens tiveram várias atividades no decorrer desse sábado. Pela manhã as atividades foram dirigidas por Janine Mattar e Frederico Pifano – para os mais novos (de 13 a 15 anos) -, enquanto o responsável pelos mais velhos (dos 15 aos 21 anos) foi o palestrante Alberto Almeida. Para mais informações sobre isso, acesse: http://goo.gl/0iE8I

Durante a tarde, os jovens mais jovens foram acompanhados pela palestrante Elaine Lopes, que ministrou a atividade: “Oficina de Arte”, enquanto os mais velhos foram acompanhados pela Caompanhia Espírita Laboro e, em seguida, pela presidente da Associação Médico Espírita do Brasil Dra. Marlene Nobre.

Jovens com a Dra. Marlene Nobre (foto por Tio Ito)

Em seguida, após um rápido intervalo para conversas e descontração, nossos jovens tiveram uma última atividade dividida em dois momentos: inicialmente os grupos ficaram com Frederico (os mais novos) e Janine (os mais velhos). Por fim, o dia se encerrou com um momento artístico em conjunto com os colaboradores da FeDF.

Momento dos Jovens com Frederico Pifano (foto por Tio Ito)

por Davi Marco Lyra Leite

Atividades da Tarde

A entrada para as atividades da tarde do 2º CEDF está liberada para todo o público de forma gratuita a partir das 14h00.

Teremos um painel com os palestrantes: Alberto Almeida, Elaine Lopes, Haroldo Dutra, Mayse Braga, Wagner Paixão e Sandra Borba.

Os interessados podem se dirigir à parte norte do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em que fica o grande auditório onde estão sendo realizadas as palestras do evento.

por Davi Marco Lyra Leite

Seminário “Alvorada Cristã”, por Haroldo Dutra Dias

por Cristiane Vasconcelos

Seminário aborda a importância da renovação dos homens para o novo mundo

Com o tema “Terra: A Hora da Regeneração”, o 2° Congresso Espírita do DF reúne diferentes discussões voltadas a melhorar o entendimento e a preparação de todos para o atual período de transição. O seminário “Alvorada cristã”, apresentado na tarde deste sábado (14/04) pelo palestrante e trabalhador da União Espírita Mineira, Haroldo Dutra Dias, trouxe uma mensagem de renovação de fé e forças para esse momento, lembrando a todos que a verdadeira alvorada só será possível com a reforma íntima de cada um.

“De coração para coração”, é assim que Haroldo Dutra descreve como deve ser o processo de preparação para um mundo de regeneração. O palestrante abriu seu discurso com a apresentação do poema “Canção antiga”, do poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, que tem em sua última estrofe a mensagem: “Eu preparo uma canção que faça acordar os homens e adormecer as crianças”. Ou seja, o esclarecimento dito com amor é o modo como a Verdade pode chegar à consciência dos homens, lugar onde, segundo o Livro dos Espíritos, na questão 622, está escrita a lei de Deus. É essa Verdade que retira o véu sobre a vida futura, nos apresentando uma imortalidade dinâmica de aprimoramento e atividade que nunca cessam, e as transformações que devemos viver primeiro em nós, para depois vivenciá-las no mundo.

Haroldo Dutra Dias (foto por Edson Gês)

Desde a evolução do nosso princípio inteligente, que passa pelos reinos mineral, vegetal e animal, para despertar no reino hominal, nos brindando com a inteligência, até os dias atuais, quando ainda lutamos para seguir o código de Moisés sobre a Justiça e as leis de Jesus sobre o amor, Haroldo mostra como é longo o caminho para acordarmos os potenciais divinos que dormem em nós. “Se considerarmos só o processo para construção de nosso perispírito, percebemos quanto aprendizado e quantas experiências vivemos apenas para podermos controlar um corpo físico”. Nessa caminhada, os males e as dificuldades que encontramos são os estímulos para o exercício da inteligência nos homens.

Infelizmente, segundo reflexão do palestrante, a mesma inteligência que cria medicamentos que curam e tecnologias que colaboram com o avanço da humanidade cria, também, entorpecentes e armas que matam. Os mesmos homens que receberam, há milênios, as leis de Justiça de Moisés ainda não conseguem colocá-las em prática na sua integralidade. Por isso, o homem, mesmo com a inteligência, ainda precisa passar pela dor. “A dor é o aguilhão que o impele para frente na senda do progresso”, diz. Com isso, Haroldo nos estimula a ponderar: “Quantos recursos a Providência Divina já investiu em nós?”.

Nessa jornada de evolução rumo à alvorada cristã, o palestrante nos conta que a humanidade recebeu uma importante revelação, dividida em três aspectos, explicados por Emmanuel: a missão da Justiça, por Moisés; o Amor, por Jesus; e a Verdade – o Consolador prometido que estará sempre conosco –, pela Doutrina Espírita. É um lento trabalho que os homens têm a cumprir com base nessa revelação, mas é esse trabalho que nos levará ao mundo da regeneração. Até lá, o homem ainda precisa aprender a usar sua inteligência com senso moral, utilizando um instrumento imprescindível: o sentimento. Pois sem isso, de nada adiantaria todo conhecimento do mundo. Unindo sentimento e inteligência, o homem deve também usar os ensinamentos que adquire, antes de tudo, para servir o próximo.

Citando as palavras do próprio Cristo, Haroldo lembra ainda que o “Reino de Deus é a obra divina no coração dos homens”, e todos nós temos, através de nossa consciência, que descobrir, dentro de nós, qual a atitude que nos preparará para o mundo de regeneração. Para isso e para enfrentarmos as dores e o cansaço que um mundo de provas e expiações nos impele, segundo ele, temos o Evangelho, o código de amor divino para nós. Desta forma, o palestrante finaliza deixando o recado nas palavras de Paulo aos Coríntios: “Eis por que não perdemos a coragem e mesmo se, em nós, o homem exterior caminha para sua ruína, o homem interior se renova a cada dia. Nosso objetivo não é o que se vê, mas o que não se vê; o que se vê é provisório, mas o que não se vê é eterno”.

Manifesto pela Defesa da Vida é apresentado em Congresso Espírita

por Aurélio Prado e Davi Marco Lyra Leite

Revisão: Soraia Ofugi

O Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil Sem Aborto acaba de lançar o seu manifesto em relação à recente aprovação da descriminalização do aborto de anencéfalos, decisão dada pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal. O lançamento ocorreu durante o Segundo Congresso Espírita do Distrito Federal, que acontece no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, desde o dia 13.

Jaime Lopes, um dos coordenadores gerais do Movimento Brasil Sem Aborto e presidente do Instituto Espírita Bezerra de Menezes (http://www.institutovidadf.com.br/) – casa que tem um trabalho plenamente dedicado ao combate a essa prática hedionda -, proferiu a leitura do manifesto, bem como teceu rápidos comentários acerca do assunto.

Confira, abaixo, o texto integral do documento que conclama todos à valorizar a vida, independente do tipo de limitação que ela possa apresentar.

MANIFESTO PELA DEFESA DA VIDA

A Federação Espírita do Distrito Federal (FEDF) promotora e organizadora do Segundo Congresso Espírita do Distrito Federal vê, nesta oportunidade, em consonância com os princípios fundamentais da doutrina Espírita, reafirmar sua posição em defesa da vida – desde a concepção à morte natural.

A recente decisão do Supremo tribunal Federal que aprovou a liberação do aborto de anencéfalos constitui um atentado contra a vida, principalmente, quando se trata de uma vida frágil e indefesa, como é o caso de fetos com diagnósticos de malformação.

A doutrina Espírita nos esclarece que a prática do aborto constitui crime perante as leis divinas, conforme o que está disposto na questão 358 de o Livro dos Espíritos. É bem verdade que ao espírito Deus concedeu a faculdade do livre-arbítrio. Essa faculdade, no entanto, não pode ser avocada para justificar a prática do aborto como direito de escolha da mulher, uma vez que em se tratando da vida em gestação, esse direito inexiste pois o direito à vida é o mais fundamental de todos os direitos humanos. Ele é tão fundamental, que nosso ordenamento jurídico estabelece limites ao próprio titular do direito, não lhe permitindo mutilar o corpo, praticar a eutanásia nem o suicídio.

Ademais, o ser em gestação no ventre materno é uma nova individualidade biológica, inviolável e indisponível, não cabendo à mulher decidir se ele deve viver ou morrer, pois essa vida não lhe pertence.

A Federação Espírita do Distrito Federal é uma das instituições que integra o Comitê do Movimento Brasil Sem Aborto do Distrito Federal e tem contribuído na preparação e organização das marchas nacionais pela vida, que se realizam todos os anos nesta capital.

Bezerra de Menezes nos tem advertido inúmeras vezes de que o trabalho em defesa da vida é permanente e mesmo que o aborto venha a ser legalizado deveremos permanecer firmes na defesa e promoção dos valores fundamentais da vida humana. Aa liberação judicial do aborto de anencéfalo em nosso país constitui, portanto, em um perigoso precedente para a legalização do aborto em geral. Nesse sentido, a FEDF comunga das preocupações de outros segmentos da sociedade em relação à proposta elaborada pelo grupo de especialistas instituído pelo Senado Federal, que propõe a liberação do aborto até a 12ª semana, quando a mulher não tiver condições psicológicas ou econômicas de criar o filho que traz em seu ventre. Entendemos que a sociedade deve estar atenta para se opor a todas as tentativas de ampliar e liberar o aborto no Brasil.

Nossa missão, como espíritas, é contribuir para o “esclarecimento a respeito das leis que emanam do Criador e regem a nossa vida, procurando contribuir com o aperfeiçoamento moral e espiritual da população brasileira” (Nota da Federação Espírtia Brasileira sobre o aborto de anencéfalo).

Brasília, 15 de abril de 2012.

Federação Espírita do Distrito Federal

Associação Médico-Espírita do Distrito Federal