Archive | abril 2011

OMS diz que álcool mata mais que aids, violência e tuberculose

Substância mata 2,5 milhões de pessoas por ano.
Relatório aborda também acidentes de trânsito e comportamento violento.

Da Agência Estado

Quase 4% de todas as mortes no mundo são atribuídas ao álcool, alertou a Organização Mundial de Saúde (OMS) em relatório divulgado nesta sexta-feira. A entidade da Organização das Nações Unidas (ONU) lembrou que o álcool é associado com muitas questões sociais sérias, como violência, negligência infantil e abusos, além de faltas ao trabalho. A porcentagem de mortes por álcool é maior do que as de mortes causadas por aids, violência e tuberculose, diz a OMS.

O relatório afirma que o uso abusivo do álcool provoca 2,5 milhões de mortes todos os anos. No grupo com idades entre 25 e 39 anos, 320 mil pessoas morrem por problemas relacionados ao álcool, resultando em 9% das mortes nessa faixa etária. A OMS informou ainda que o álcool prejudica a vida não somente de quem o consome em excesso, mas também dos que se relacionam com essas pessoas. “Uma pessoa intoxicada pode prejudicar outras ou colocá-las em risco de acidentes de trânsito ou por comportamento violento, ou afetar negativamente colegas de trabalho, parentes e desconhecidos”, afirma o texto.

Leia mais em http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/02/oms-alcool-mata-mais-que-aids-violencia-e-tuberculose.html

Dica da Doutrina

A vida é uma experiência dada por Deus para evoluirmos. Temos de aproveitar cada segundo aqui na Terra para fazer o bem e darmos  um passo adiante para a grandeza divina. Um segundo de desatenção pode colocar abaixo séculos e séculos de preparação e comprometer dezenas de encarnações. Pensemos nisso na hora em que os exageros e os convites pouco saudáveis se apresentarem à nossa frente.

“Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”  Paulo de Tarso

Anúncios

Sites Interessantes

Pessoal,

Na internet temos um material bem interessante sobre o Espiritismo, desde textos espalhados entre diversos sites a portais dedicados única e exclusivamente à divulgação da Doutrina. São leituras bem proveitosas.

Entre as informações dedicadas ao Espiritismo, podemos citar os dados biográficos de alguns dos vultos importantes dentro da nossa história. Dentre eles, temos os precursores, o codificador, os consolidadores, os divulgadores e tantas outras pessoas que não receberam títulos no vocabulário popular, mas que muito contribuíram e contribuem para a divulgação e estudo do Consolador Prometido.

Assim, vamos elencar alguns perfis na Wikipedia e outros sites que podem servir de base para começarmos a aprofundar um pouco o nosso estudo na história do Espiritismo.

Esperamos que aproveitem a leiutra desse material. Bom divertimento!

Personalidade de JIZ

Nome: Atualpa Barbosa Lima

Nascimento: 28 de Outubro de 1892

Falecimento: 28 de Outubro de 1928

Médico clínico e cirurgião, formado no Rio de Janeiro, esse cearense exercia sua profissão de forma competente e humanitária. Trabalhou por alguns anos no interior do seu estado, vindo depois a fixar-se na capital depois.

Jovem e idealista, buscava sempre novas conquistas e procurava fazer sempre o melhor para aqueles que o cercavam. Atuando como jornalista, político e escritor, ele tentava sempre dar um cunho elevado às suas obras. O seu livro “Memórias de um Leproso” (escrito sob o pseudônimo de Anselmo Fraga) rendeu lucros para o Leprosário Antônio Diogo – o que ajudou no tratamento e melhorou a vida dos enfermos que ali se tratavam.

Homem de coração enorme e atitude nobre, espírito trabalhador e dedicado, o patrono de nossa casa não cessava a vontade de ajudar ao próximo e inspirar o ser humano a buscar algo melhor. Que sua bondade e vontade de auxiliar nos guiem em nossas caminhadas e que, na casa de Atualpa, consigamos a paz de espírito que se faz necessária para enfrentar os percalços do quotidiano.

Fonte: Jornal Brasília Espírita nº 137, Novembro/Dezembro de 2005.

(http://www.atualpa.org.br/jornal/be200506.pdf)

Espiritismo no dia-a-dia

OLHAI POR NÓS!

E olhai por todos esses pequeninos que se foram hoje, senhor Jesus!

Que esses braços abertos que abençoam a Baía de Guanabara possam recebê-los.

Afinal, tu mesmo dissestes: “Deixai vir à mim as criancinhas”!

Espiritismo no dia-a-dia

Divaldo Franco Responde sobre mortes coletivas
 

Texto extraído do livro Divaldo Franco Responde.
 

5) Aprendemos que, para a espiritualidade superior, não existe improviso. Como é o atendimento, como é o preparativo dessa espiritualidade superior no caso desses eventos? Anteriormente e também depois que ocorre, tanto para os desencarnados como para os que ficam?

Divaldo Franco: Poderia parecer que os benfeitores programam a desencarnação coletiva. Não é exatamente assim. Quando as circunstâncias mesológicas favorecem o acidente, os benfeitores têm conhecimento anterior. Vamos imaginar a possibilidade de uma falha em qualquer um dos equipamentos, a possibilidade de equívoco humano, os fatores climatéricos, as circunstâncias geológicas como terremotos, maremotos, erupções vulcânicas, tsunamis, então uma lei de afinidades atrai os indivíduos àquele evento que ensejará a libertação dos crimes do passado em forma coletiva.

 Ficou tristemente célebre no Brasil e no mundo o incêndio de um circo em Niterói, quando crianças, aos milhares, perderam a vida biológica e centenas de pais ficaram em grande desespero. Na ocasião, em uma página de incomparável beleza, o Espírito irmão X, pseudÃ?nimo de Humberto de Campos, através da mediunidade do venerando apóstolo Francisco Cândido Xavier, narrou o que teria sido a sua causa anterior, centrada numa ocorrência grave do tempo do cristianismo primitivo. Então a lei demorou aproximadamente dezenove, quase vinte séculos, para reunir os Espíritos delituosos e, num acontecimento fortuito, o toldo do circo foi levado às chamas e com um alto poder de combustão caiu sobre a multidão, sendo devorada pelas chamas.

A Divindade, portanto, permite que os fatores mesológicos, assim como os propiciatórios sejam previstos pelos mentores, que também contribuem para reunir to dos esses seres que estão vinculados entre si, ocorrendo, desse modo, uma pré-programação.

Certo dia o Espírito Joanna de Ângelis disse-me: “O acaso, o improviso nas leis soberanas seria o resultado de um trabalho muito bem elaborado para dar certo naquele momento, que é o objetivo da programação. Mas esses espíritos, por outro lado, os que desencarnam, são recebidos por seus familiares no Além, por outras entidades amorosas, qual ocorria nos espetáculos do circo romano, nos períodos do cristianismo primitivo. Quando as feras dilaceravam as carnes e os Espíritos se libertavam, hosanas estavam cantando no ar, outros mártires que os haviam precedido recebiam-nos e os levavam às regiões felizes. Nas grandes dores, nas grandes tragédias, sempre está presente a misericórdia de Deus compensando as aflições de todos