Archive | julho 14, 2010

Personalidade de JIZ

Nome: Nelson Rolihlahla Mandela

Nascimento: 18 de Julho de 1918, em Mvezo, África do Sul

Quem é: ex-Presidente Sul-africano (1994 a 1999), advogado e ex-líder rebelde

 

 

Nelson Mandela, ou simplesmente Mandela, causou a comoção de mais de 80 mil apaixonados pelo futebol ao adentrar o Soccer City no domingo 11, antes da final da Copa do Mundo de Futebol realizada na África do Sul.

O ex-presidente representa, não só para sua nação, mas para o mundo, um ideal que vem se tornando realidade nos últimos anos nesse país ao sul do continente mais pobre do mundo. O sonho de igualdade. Igualdade racial em um lugar onde os brancos discriminavam abertamente os negros por se sentirem superiores e instauravam uma cultura de medo e desrespeito… Mas, graças a Mandela e seus correligionários, isso agora é passado.

Certo se dizer que ainda restam cicatrizes do Apartheid, mas esse homem conseguiu que um país preconceituoso e dividido se unisse sob a égide de um presidente representante da população discriminada. Ele conseguiu iniciar um processo, que ainda está em curso, de queda das barreiras existentes entre negros e brancos, e, dessa forma, pode, futuramente, levar o mais importante evento do esporte mundial para um continente desacreditado.

Esse homem, prêmio Nobel da Paz em 1993, representa, para toda uma nação, a força do seu povo e a busca por melhores condições de vida. Depois de quase três década na prisão, Mandela foi libertado por Frederik Willem de Klerk (presidente sul-africano branco que permaneceu no poder até 1994). Ele foi libertado em 1990 e assumiu a liderança do Congresso Nacional Africano. No ano de 1994, assume como o primeiro presidente negro da história da África do Sul quebrando paradigmas e elevando  o pensamento de igualdade racial a um novo patamar.

Mandela, um homem simples, de atitudes comedidas como representante político, lutou ferrenhamente pela igualdade entre negros e brancos, mostrou que o mundo pode e deve acreditar na África, deu continuidade a um processo de modificação no cenário nacional (iniciado por de Klerk) e se tornou um dos maiores expoentes do continente africano em toda história.

Esse mês homenageamos o homem, que tornou possível a raças diferentes começarem a conviver em paz, num país onde ninguém imaginava que isso fosse possível. No domingo passado, ele foi reverenciado pelos fãs de futebol, mas todo dia muitos lhe prestam homenagens pela firmeza de caráter e pelo amor à causa do combate ao racismo.

Um dia, um homem sonhou que negros e brancos poderiam viver como irmãos. Esse dia ainda não chegou em todos os lugares do mundo, mas, pelo menos, o aniversariante do próximo domingo recebeu um presente sem igual ao ver um estádio africano colorido por brancos, negros e pardos que o aplaudiram e saudaram, num dos momentos mais emocionantes da Copa.

Fica aqui o nosso registro a esse líder, que unificou um povo, e, em seu discurso de posse, proferiu o seguinte texto da escritora americana Marianne Williamson, sobre o que se espera de nós:

“O nosso maior medo não é sermos inadequados. Nosso maior medo é sermos fortes além da medida. É a nossa luz, não a nossa escuridão, que nos assusta. Nós nos perguntamos quem sou eu para ser brilhante, belo, talentoso e notável? Na verdade, quem você é para não ser assim? Você é filho de Deus. Sentir-se pequeno não ajuda o mundo em nada. Não há nada dignificante no ato de se diminuir para que os outros não se sintam mal à sua volta. Nós devemos brilhar, como as crianças fazem. Nascemos para manifestar a glória de Deus presente em nós. Ela não está apenas em alguns, está em todos nós. E, ao deixarmos a nossa própria luz brilhar, inconsientemente damos permissão às outras pessoas para fazer o mesmo. Ao nos livrarmos do nosso próprio medo, a nossa presença naturalmente liberta os outros.”

Anúncios