Archive | junho 2009

Jiz no Atualpa

VENHAM CONFERIR O 29º FIMUMIZ

FESTIVAL INTERNO DE MÚSICAS ESPÍRITAS DO GEABL

Que estará ocorrendo neste sábado (27 de junho) às 20:00hs

No Grêmio Espírita Atualpa Barbosa Lima, (salão do Bloco “A” do GEABL) localizado na

SGAS 610 sul, no final da rua do maristinha.

Será imperdível. Haverá apresentações de músicas inéditas para todos os gostos.

CONTAMOS COM A SUA PARTICIPAÇÃO!!

Anúncios

Frase da Semana

“É apenas com o coração que se pode ver direito; o essencial é invisível aos olhos.”

(Antoine De Saint Exupery)

Espiritismo no dia-a-dia

 

FAO alerta que a barreira de um bilhão de famintos será superada em 2009
Associated France Press
 de Roma

fomedesafio96

 

A barreira de um bilhão de pessoas que passam fome será superada em 2009 em consequência da crise econômica mundial, anunciou nesta sexta-feira (19) a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

“Pela primeira vez na história da humanidade, mais de um bilhão de pessoas, concretamente 1,02 bilhão, sofrerão de subnutrição em todo o mundo”, adverte a FAO em um relatório sobre a segurança alimentar mundial.

 “O número supera em quase 100 milhões o do ano passado e equivale a uma sexta parte aproximadamente da população mundial”, destaca a agência especializada da ONU, que tem sede em Roma.

Segundo as estimativas da FAO, baseadas em um estudo do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, “a maioria das pessoas subnutridas vive em países em desenvolvimento”. Quase 53 milhões de pessoas sofrerão fome em 2009 na América Latina e Caribe. O número chega a 642 milhões na Ásia-Pacífico, 265 milhões na África subsaariana, 42 milhões no Oriente Médio e África do Norte e 15 milhões nos países em desenvolvimento. O número de subnutridos no mundo passou de 825 milhões no biênio 1995-1997 a 873 milhões de 2004 a 2006. Em 2008, o númerou caiu de 963 milhões a 915 milhões por uma melhor distribuição dos alimentos, mas a tendência se reverteu com o agravamento da crise econômica e financeira do fim do ano.

Para a FAO, o objetivo fixado em 1996 na Cúpula Mundial sobre a Alimentação (CMA) de reduzir à metade o número de pessoas com fome não será alcançado. A meta foi ratificada, no entanto, com o compromisso de ser atingida em 2015, em uma reunião da ONU em Roma em junho de 2008. Mas a redução da renda pela crise e os elevados preços dos alimentos foram devastadores para as populações mais vulneráveis.

As estimativas da FAO confirmam a tendência desalentadora da última década para uma insegurança alimentar maior e revelam claramente o impacto da crise nas populações mais pobres do planeta. “O aumento da insegurança alimentar que aconteceu em 2009 mostra a urgência de encarar as causas profundas da fome com rapidez e eficácia”, afirma a organização.
“A atual desaceleração da economia mundial, que segue a crise dos alimentos e dos combustíveis e coincide em parte com ela, está no centro do forte aumento da fome no mundo”, indica a agência da ONU. As estimativas alarmantes da FAO foram publicadas três semanas antes da reunião de cúpula dos chefes de Estado e de Governo do G8, os oito países mais ricos do mundo, na cidade italiana de L’Aquila, de 8 a 10 julho.

A crise econômica e suas repercussões, em particular na África, o continente mais afetado, estão na agenda da reunião. Na América Latina e Caribe, a única região que registrou sinais de melhora nos últimos anos, também foi comprovado um aumento (12,8%) do número de desnutridos. Até nos países desenvolvidos, a desnutrição se transformou em uma preocupação cada vez maior.

O relatório completo sobre a insegurança alimentar no mundo será apresentado oficialmente em outubro.

Visão da doutrina

Há coisas que conseguimos dizer. Outras já foram ditas com maestria, com palavras harmoniosas e poéticas. Nos calamos e deixamos que o capítulo XIII do Evangelho Segundo o Espiritismo emoldure esta notícia

 

Chamo-me Caridade; sigo o caminho principal que conduz a Deus. Acompanhai-me, pois conheço a meta a que deveis todos visar.

Dei esta manhã o meu giro habitual e, com o coração amargurado, venho dizer-vos: Oh! meus amigos, que de misérias, que de lágrimas, quanto tendes de fazer para secá-las todas! Em vão, procurei consolar algumas pobres mães, dizendo-lhes ao ouvido: Coragem! há corações bons que velam por vós; não sereis abandonadas; paciência! Deus lá está; sois dele amadas, sois suas eleitas. Elas pareciam ouvir-me e volviam para o meu lado os olhos arregalados de espanto; eu lhes lia no semblante que seus corpos, tiranos do Espírito, tinham fome e que, se é certo que minhas palavras lhes serenavam um pouco os corações, não lhes reconfortavam os estômagos. Repetia-lhes: Coragem! Coragem! Então, uma pobre mãe, ainda muito moça, que amamentava uma criancinha, tomou-a nos braços e a estendeu no espaço vazio, como a pedir-me que protegesse aquele entezinho que só encontrava, num seio estéril, insuficiente alimentação.

Alhures vi, meus amigos, pobres velhos sem trabalho e, em conseqüência, sem abrigo, presas de todos os sofrimentos da penúria e, envergonhados de sua miséria, sem ousarem, eles que nunca mendigaram, implorar a piedade dos transeuntes. Com o coração túmido de compaixão, eu, que nada tenho, me fiz mendiga para eles e vou, por toda a parte, estimular a beneficência, inspirar bons pensamentos aos corações generosos e compassivos.

Por isso é que aqui venho, meus amigos, e vos digo: Há por aí desgraçados, em cujas choupanas falta o pão, os fogões se acham sem lume e os leitos sem cobertas. Não vos digo o que deveis fazer; deixo aos vossos bons corações a iniciativa. Se eu vos ditasse o proceder, nenhum mérito vos traria a vossa boa ação. Digo-vos apenas: Sou a caridade e vos estendo as mãos pelos vossos irmãos que sofrem.

Mas, se peço, também  dou e dou muito.  Convido-vos para um grande banquete e forneço a árvore onde todos vos saciareis! Vede quanto é bela, como  está carregada de flores e de frutos! Ide, ide, colhei, apanhai todos os frutos dessa magnificente árvore que se chama a beneficência. No lugar dos ramos que lhe tirardes, atarei todas as boas ações que praticardes e levarei a árvore a Deus, que  a carregará de novo, porquanto a beneficência é inexaurível. Acompanhai-me, pois, meus amigos, a fim de que eu vos conte entre os que se arrolam sob a minha bandeira. Nada temais; eu vos conduzirei pelo caminho da salvação, porque sou – a Caridade. – Cáritas, Lyon, 1861

caridade

Solidariedade é Jiz

Cartaz solidariedade

 

Mudança de temperatura… tempinho apropriado para o chocolate quente, o filme embaixo das cobertas acompanhado de pipoca, o chazinho ao final do tarde…
 
Tempinho apropriado para conhecer a nova coleção outono inverno, mudar algumas peças do guarda-roupa…
 
Tempinho apropriado para lembrarmos daqueles que não têm motivo para ficar alegres com a mudança de estação…
 
E é por isso que o tempinho também está apropriado para iniciarmos nossa CAMPANHA DO AGASALHO “QUANTO MAIS GENTE MAIS QUENTE” em prol de algumas instituições beneficentes do DF (Orfanato Casa de Moisés, Asilo dos Samaritanos, Casa da Harmonia do Menor Carente, CER – Centro de Ensino e Reabilitação, Ação Social Recomeçar e Creche Comunitária Anjo da Guarda.).
 
Esta campanha tem como objetivo arrecadar agasalhos, cobertores, mantas, meias, gorros, luvas, cachecóis, calçados e roupas em geral para as crianças, os adolescentes e os adultos assistidos pelas instituições participantes.
 
Os produtos deverão ser entregues até o dia 31 de julho. Entrem em contato comigo Cristiane (3427.2555 / 9905.5701)para combinarmos a coleta das doações.
 
Segue em arquivo anexo o folheto e cartazes relativos à divulgação da campanha, caso queiram imprimir e distribuir para familiares, amigos, vizinhos e colegas de trabalho que também tenham interesse em participar. Anexei também a apresentação relativa à CAMPANHA DO AGASALHO 2008 para que tenham uma idéia de como foi.
 
Quanto mais arrecadarmos, melhor para as instituições, portanto, PARTICIPEM! Vamos dar aquela verificada em nossos armários e tornar útil aquela roupa que não “passeia” a anos e já está ficando amarelada, fora de moda e com cheirinho de naftalina.
Tenho certeza de que nossos agasalhos estão loucos para sair por aí para se tornarem “úteis”. 
 
Vamos aquecer o nosso coração aquecendo o corpo de irmãos mais carentes.

Frase da Semana

    “Olho por Olho, e o mundo acabará cego.”

    Ghandi

Espiritismo e Reflexão

nizan-guanaes

“Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado a acreditar que tenho licença para dar alguns. Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja aqui vão alguns, que julgo valiosos.
Meu primeiro conselho : Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo o coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham, porque são incapazes de sonhar.E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma.
A propósito disso, lembro-me de uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse:- ‘Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo.’E ela respondeu: -‘Eu também não faço, meu filho. ‘Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar e realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna. Meu segundo conselho: Pense no seu País. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal, é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como homens. Roubam, mas vivem uma vida digna de Odorico Paraguassu.
Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: ‘Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito’. É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito, ou seja, é preferível o erro à omissão, o fracasso ao tédio, o escândalo ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido, tendo consciência de que cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro.
Você foi criado para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar, sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra.
Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: ‘eu não disse!’, ‘eu sabia!’. Toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa. Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar. Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso. Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio (que é a morada do demônio) e constrói prodígios.
O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito o que aprender com aqueles trouxas dos japoneses. Porque aqueles trouxas japoneses, que trabalham de sol a sol, construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho. Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as mesmas conversas, mas o tempo (que é mesmo o senhor da razão) vai bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão.
E isso se chama SUCESSO.

Texto de Nizan Guanaes para os graduandos da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado)

Colaboração do jornalista Arnaldo Galvão

Jiz e pipoca

sete-vidas-2008

Título em português: Sete Vidas
Título Original: Seven Pounds.
Origem: Estados Unidos, 2008.
Direção: Gabriele Muccino.
Roteiro: Grant Nieporte.

Elenco: Will Smith, Rosario Dawson, Woody Harrelson, Michael Ealy.

Sinopse: A emocionante história de um homem, que após causar a morte de sete pessoas em um acidente, decide ajudar outras sete pessoas. O final, surpreendente e impactante, deixa no ar um questionamento que assombra a multidão há milênios: os fins justificam os meios?